‘Um Sopro de Vida’ foi o último romance de Clarice Lispector

Última obra escrita pela autora começou a ser elaborada em 1974 e foi lançada em 1978, um ano após a sua morte

O livro era de fato o sopro de vida de Clarice, que precisava escrever para se sentir viva

O livro era de fato o sopro de vida de Clarice, que precisava escrever para se sentir viva

Quando a escritora Clarice Lispector terminou “Um sopro de vida”, às vésperas de sua morte, por câncer, em 1977, sabia que este seria o seu livro definitivo. O livro era de fato o sopro de vida de Clarice, que precisava escrever para se sentir viva.

Na história, ela fala de um homem aflito que criou uma personagem, Angela Pralini, seu alter-ego. Mas ora ele não se reconhecia em Angela, porque ela era o seu avesso, ora odiava visceralmente o que via refletido naquela estranha personagem-espelho.

O autor elabora Angela Pralini, mas ela toma vida própria, surpreendendo e revoltando seu criador com suas diferenças. Um processo de criação, uma relação em que Clarice Lispector revela os conflitos de um autor com seus próprios impulsos e o quanto é doloroso aceitá-los e deixá-los fluir.

Trata-se de mais um livro de Clarice Lispector, que foi e sempre será uma das escritoras mais marcantes na história da literatura brasileira. “Um sopro de vida” foi lançado em 1978. A escritora brasileira morreu em 1977, aos 57 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top